Acordo de Acionistas

É uma ferramenta jurídica de apoio à continuidade da Empresa Familiar.

Todo negócio tem um ciclo de vida. O momento inicial de uma Empresa Familiar acontece quando o fundador começa o seu empreendimento, evolui com o passar dos anos e encontra o momento em que as futuras gerações começam a se envolver, sejam como gestores ou como acionistas. Quando a Empresa Familiar se vê nesta situação, um novo modelo de gestão se faz necessário.
 
No caso do fundador ser o único líder do negócio, temos uma forma de gestão de “dono”. Ela só será alterada quando o mesmo falecer ou passar as suas ações ou cotas para os filhos. Isso quer dizer que, a partir daí, teremos um modelo de gestão entre sócios, ou seja, uma sociedade. Nestes casos, sabemos que a liderança requer uma estruturação diferenciada.
 
A criação prévia de um Acordo de Acionistas é muito importante neste processo, pois auxilia os novos sócios/proprietários nas combinações de representatividade de poder, de manutenção da propriedade e de união e harmonia societária.

Patrice Gaidzinski

Patrice Gaidzinski é Diretora-fundadora da Posterità – Formação e Consultoria a Negócios Familiares. É psicóloga e especialista em Psicoterapia de Família. Atua como consultora em Empresas Familiares, implementando práticas de Governança Corporativa, auxiliando na elaboração de Acordos de Acionistas, Protocolos Familiares e Processos de Sucessão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + dezessete =